Europa

Como visitar os Mosteiros de Meteora | Grécia

Mosteiro de Meteora

Visitar os Mosteiros, e a região de Meteora na Grécia era algo que ambicionava há muito, mas por razões várias foi ficando para trás. Até que um dia, um grupo de pessoas que viajou comigo num roteiro de viagem pelos Balcãs que criei para a agência Landescape, decidiu incluir este lugar maravilhoso numa nova viagem à medida. Obrigado malta!

Sendo assim, de forma algo inesperada visitei este lugar duas vezes em 2019, primeiro em família e depois já com o grupo Landescape. E acreditem, não vai ficar por aqui. Não só Meteora mas toda a região e Norte da Grécia surpreenderam-me bastante e saí dali com vontade de explorar toda esta região!

Pela surpreendente paisagem de montanha e as suas florestas (sem eucaliptos), pela história, pela comida e pelas pessoas! Viva a Grécia!

Enquanto isso não acontece, “apenas” tenho para partilhar convosco Meteora e os seus mosteiros “suspensos no ar”.

MAS AFINAL, O QUE SÃO OS MOSTEIROS DE METEORA?

Mosteiro de Roussanou

A primeira coisa que aprendi foi que Meteora em grego quer dizer algo como, “colunas até ao céu ou suspenso no ar”.

E foram nestas “colunas até ao céu” que por volta do século XI começaram a estabelecer-se monges anacoretas- monges cristãos que viviam em retiro, solitariamente nos primórdios do cristianismo, a fim de alcançar um estado de graça e pureza de alma pela contemplação.

Inicialmente em cavernas escavadas na rocha apenas acessíveis por escadas e gruas rudimentares, e só a partir dos finais do século XIV, se começaram a edificar mosteiros, tal como conhecemos hoje no topo destes maciços pilares de arenito, refugiando-se do cerco intenso dos Otomanos.

Foram três monges- Moses, Gregorio e Athanasios- vindos de um mosteiro longinquo ouvindo dizer que lá longe nas terras da Tessália estariam a ocorrer milagres, partiram em busca de uma nova casa e estabeleceram-se no topo de uma das rocha. Ao que se sabe, foi mesmo um deles, Athanasios que fundou um pequeno mosteiro em 1344, apenas acessível por escada e corda, que quando se sentia ameaçado ou desconfiado de alguma visita inesperada não tardava a retirar.

O tempo foi passando e os Otomanos intensificavam a sua expansão, foi assim que outros monges espalhadas pelas terras gregas decidiram refugiar-se também aqui e estabelecer-se nos incríveis e inacessíveis rochedos de Meteora.

A comunidade foi sofrendo algum declínio no século XV com a a perseguição dos turcos, todavia, com alguma tolerância imposta no reinado do Grande Sultão Suleimão, Meteora revitalizou-se mas para além disso e ainda mais importante, tornou-se num grande centro de preservação da cultura Helénica, atraindo também escritores, filósofos e pensadores. Muitos locais afirmam mesmo que, não fora Meteora e muitas tradições e cultura Helénicas teriam sido perdidas no tempo.

DE QUE VIVIAM OS MONGES E COMO OBTIAM COMIDA?

Um dos mosteiros ainda em uso em Meteora

Como já referi, os monges para descer e subir utilizavam escadas e cordas, mas também cestos em rede com sistema de roldana. Era assim que acediam às suas plantações de milho, batatas e também às suas vinhas lá em baixo em redor das rochas.

Hoje, nalguns dos 6 mosteiros ainda activos é posível ver ainda como se deslocavam estes homens no passado através da recuperação de antigos mecanismos.

VISITAR METEORA

Mosteiro Roussanou de outra perspectiva

Há pouco mais de 100 anos Meteora continuava a ser um lugar pouco acessível e misterioso. Para terem uma ideia, só em 1921, – e depois do período negro da II Guerra mundial, em que o lugar foi severamente atingido e muitos objectos de valor destruídos e roubados- é que um mulher conseguiu entrar e vistar um mosteiro, neste caso o Grande Mosteiro.

A partir daí, com a retoma e crescimento do turismo, Meteora – que se tornou património UNESCO em 1988- transformou-se quiçá num dos lugares mais conhecidos da Grécia…depois das suas idílicas ilhas.

Visitar Meteora é muito fácil e acessível até de carro, no entanto o grande dilema é sempre quais os mosteiros a visitar e os seus horários. Por isso aqui em baixo deixo-vos todas as informações para que possam elaborar o vosso plano.

MOSTEIROS DE METEORA e HORÁRIO DE VISITAS:

MOSTEIRO GRANDE DE METEORA:

É o maior e o mais antigo, em honra da “Transfiguração” e começou a ser construído em meados do século XIV por um dos três monges, o Anasthasios.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 9:00 às 15:00 Fecha à Segunda

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 9:00 às 14:00 Fecha às Terças, Quartas e Quintas

MOSTEIRO DE VARLAAM:

O segundo maior mosteiro foi fundado em meados do século XIV. Neste mosteiro podes ver o velho sistema de roldana e uma antiga rede originais, usada para subir e descer a rocha,. Sabem quando a mesma era substituída ? Quando Deus quisesse…

Uma velha e gigante barrica para guardar água do século XVI, feita em madeira de carvalho é algo também que merece uma espreitadela.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 9:00 às 16:00 Fecha à Sexta

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 9:00 às 15:00 Fecha à Quinta e Sexta.

MOSTEIRO DE ROUSSANOU:

Apesar de estar situado num patamar menos elevado em relação a outros, na minha opinião é um dos mais cénicos por fora, pois fica mesmo empoleirado no top de um dos rochedos. Foi fundado em meados do século XVI e um dos que sofreu mais com a II guerra mundial.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 9:30 às 17:00 Fecha à Quarta

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 9:00 às 14:00 Fecha à Quarta.

MOSTEIRO DE ST. NIKOLAOS ANAPAFSAS:

É um dos mais antigos e é o primeiro que se avista para quem chega a Meteora vindo de Kastraki. Apenas um monge ainda aqui reside. Quiçá um dos mosteiros de mais difícil construção pois a aréa é extremamanete reduzida no topo.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 8:00 às 16:00 Fecha à Sexta

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 9:30 às 16:00 Fecha à Sexta

MOSTEIRO SANTO ESTEVÃO

É o Mosteiro de mais fácil acesso. Para lá chegar basta estacionar o carro (se não estiveres a pé) e atravessar uma pequena ponte. É o ideal para quem não puder subir escadas. Da parte sul, de um varandim, tem umas vistas soberbas sobre o vale, sobre Kalambaka e sobre as montanhas defronte.

Actualmente é um convento com perto de 30 freiras.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 9:00-13:30 às 15:30-17:30 Fecha à Segunda

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 9:30-13H às 15:00-17:00 Fecha à Segunda

MOSTEIRO DA SANTÍSSIMA TRINDADE

Se o anterior era o mais fácil este é o de mais difícil acesso. Para lá chegar tens de atravessar um vale e subir centenas de escadas. Mas já sabes que o esforço compensa sempre, as vistas são muito interessantes daqui. A sua peculiar arquitectura e o seu entorno foram razões mais do que suficientes para convencer o realizador de James Bond a filmar aqui parte de um dos filmes.

HORÁRIO VERÃO (1 Abril a 31 de Outubro): 9:00 às 17:00 Fecha à Quinta

HORÁRIO DE INVERNO (1 Novembro a 31 Março): 10:00 às 16:00 Fecha à Quinta

COMO CHEGAR A METEORA?

DE CARRO: As duas vezes que visitei Meteora foram de carro. Uma vindo de Ohrid na Macedónia do Norte e a outra de Ksamil na Albânia. Ambas as rotas estão bem servidas de estradas, inclusivé há troços de auto estrada (paga).

Clicar aqui: Como ir a Meteora de carro

DE AUTOCARRO: É possível sobretudo de Tessalónica e de Atenas. A rede de autocarros Grega é algo confusa mas nos últimos anos começaram a modernizar e aumentar a rede, a companhia é a KTEL

DE COMBOIO: O comboio para Kalambaka é um dos meios de transporte mais utilizados por viajantes independentes. Ao que dizem o percurso em si já é bastante cénico. É possível desde Atenas e Tessalónica –que têm os dois mais movimentados aeroportos da Grécia- podes consultar toda a informação aqui.

ATRAVÉS DE UM TOUR: Outra forma bastante popular junto dos viajantes que visitam a Grécia. Um bom exemplo é o bem sucedido TOUR DE 1 DIA A METEORA DE COMBOIO/TREM desde ATENAS. Além do comboio ida e volta, está incluído um guia no local e transporte em Mini-bus da estação até aos mosteiros.

DICAS IMPORTANTES

  • O custo de entrada em cada Mosteiro é de 3€.
  • Atenção à vestimenta (Homens e Mulheres) devem vestir-se de forma discreta se pretenderem entrar nos mosteiros. Eles calças, elas evitar decotes e saias. Existe à entrada lençois para tapar caso seja necessário.
  • Kalambaka e Kastraki são as localidades mais próximas de Meteora. Kalambaka é a cidade maior e com mais opções de alojamento e restaurantes. Kastraki é bem mais pequeno e quiçá típico, mas os preços são mais elevados.
  • Há um autocarro público de Kalambaka para os mosteiros. No entanto só funciona de Abril a Outubro das 9 às 17h de 2 em 2 horas.
  • Podes visitar Meteora sem guia, mas para uma melhor compreensão aconselho que contrates alguém para te explicar o contexto e dar-te uma visão mais alargada deste lugar. Podes fazê-lo numa manhã ou tarde e o resto do dia ou dos dias fazê-lo de forma livre.
  • Se tiveres oportunidade e condição física faz caminhadas. É a melhor forma de sentir o lugar e porque não a sua espritualidade.
  • Se quiseres fugir da multidão de turistas, Visita o Mosteiro Ypapanti, apenas acessível a pé.
  • Fiquei sempre com a sensação que há menos turistas depois de almoço, aproveita para ir de tarde e ficar para o pôr do sol.

POSSO FAZER-VOS UM PEDIDO?

Faça as suas reservas de ALOJAMENTO através das parcerias do nosso blogue NOS LINKS INDICADOS, VOCÊ NÃO PAGA MAIS, e nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguiremos manter e até melhorar ainda mais o nosso blog ! OBRIGADO!

RESERVE AQUI O SEU ALOJAMENTO EM METEORA

GUARDA AQUI O TEU PIN!!

Boas viagens!!

Deixe uma resposta