Marrocos

Tadarnot: E “A nossa família berbere”

Marrocos

Este dia da nossa viagem a Marrocos de mochila às costas foi provavelmente aquele dia em que pensámos: “Temos de continuar a fazer isto”. Foi o clique que nos fez mudar um pouquinho a nossa forma de viajar. Cremos que foi a partir daqui que nos podemos intitular mais de viajantes do que turistas.

Mas estamos a falar de quê ? Estamos a falar de um Domingo passado com uma família berbere de uma aldeia nas montanhas do atlas, perto de   Taroudant e cerca de 200km a sul de Marraquexe.

dsc01965
Bandeira berbere pintada numa rocha da aldeia

Não foi obra do acaso. Com as anteriores viagens a Marrocos tinha feito amizade com Khalid, um marroquino especialista em Tadelakt (que é uma argamassa tradicional muito utilizada em chão e paredes das casas e que por lá ainda é praticado como uma arte feita à mão).

PS: Prometo em breve um post sobre Tadelakt.

dsc01374
Casa de banho feita em Tadelakt

Tinha dito a Khalid que gostava de visitar aldeias berberes nas montanhas, mas nada que fosse muito turístico. Khalid anuiu de imediato e disse-me logo que a sogra vivia numa dessas aldeias e que iríamos quando eu quisesse. Não tinha expectactivas, apenas uma vontade imensa de perceber que povo é este, o povo berbere.

Tudo combinado. Iríamos no próximo Domingo visitar a aldeia de Tadernot que fica a cerca de 60km de Taroudant, só tínhamos de alugar um carro porque Khalid não tem, e transporte público não há, só boleia com as carrinhas que vão vender ao Souk (mercado) mais próximo e de…burro. Escolhemos alugar um carro… (só porque não estávamos sozinhos!)

dsc01831
Nós a caminho de Tadernat (aldeia berbere)

Passámos por paisagens de montanha muito bonitas. A estrada foi boa até Imoulass onde se realizava o Souk semanal. Fizemos aqui uma paragem para esticar as pernas, e comprar alguma fruta. Foi muito “legal”. Viu-se que era um sítio bem genuíno e sem turistas.

dsc01858

dsc01852
Vêm os burrinhos ? É o parque de estacionamento do Souk de Imoulass

 

dsc01849
Quem será o burro ? Hahaha

 

dsc01853

dsc01854

dsc01857

Comprámos umas bananinhas e seguimos viagem rumo à “nossa”aldeia. A partir daqui entrámos em estrada de montanha pura e dura, terra batida alternada com pedra batida, sem Jeep. Não foi preciso, o Renult Logan portou se muito bem.

Desde Imoulass fizemos ainda uns bons 20km, muito devagarinho!

dsc01936

dsc01967

Não há pressas, havemos de lá chegar. A montanha é despida de árvores, no entanto avistamos uma mancha verde ao longe incrustada num vale, é Tadernot, a nossa aldeia rodeada de grandes Nogueiras e outras árvores, atravessada por um riacho com água purinha da montanha !

dsc01873

dsc01922

dsc01921

Sentimo-nos privilegiados por estar ali. Sabemos que “nunca tinha ido ali um estrangeiro” -segundo Khalid.

Atravessamos literalmente a aldeia. Não percebo porquê mas Khalid continua a dizer para ir em frente. Chegamos ao “fim” da estrada e Khalid diz para estacionar. Ok, já percebemos, só aqui havia lugar para colocar o carro.

Khalid diz-nos que é uma boa caminhada até à casa da sogra. Não faz mal-pensamos-isto é lindo ! Uma floresta de nogueiras, um riacho sempre a acompanhar o nosso percurso, e mulheres que vão passando carregadas com milho às costas e que nos cumprimentam efusivamente. Queremos ficar aqui !

dsc01862
Dá para beber e lavar a cara!

dsc01870

dsc01863

dsc01871

dsc01872

dsc01912

Começam a surgir muitas perguntas na nossa cabeça de como irá ser aquele dia. Afinal estamos entregues a uma família berbere, não sabemos nada dos seus costumes e hábitos, não sabemos como nos comportar. Irá isso ser importante ? Nada.

Chegamos à aldeia propriamente dita, as casas são feitas em pedra, fazem-nos lembrar muitas aldeias do interior de Portugal, não é assim tão diferente…

dsc01876

dsc01878

dsc01885

dsc01884

O que é muito diferente de Portugal, é que esta aldeia ainda está cheia de vida, cheia de crianças a brincar na rua e que nos olham com curiosidade, mas só isso.

dsc01917

dsc01918
Crianças muito fotogénicas

Khalid diz nos que o almoço está à nossa espera. Uau! Temos almoço já preparado e tudo…Notamos que não se vêm homens, apenas mulheres e crianças. Pergunto ao meu amigo sobre isso e diz-me que estão nas montanhas a guardar os rebanhos de cabras e ovelhas, e outros foram até ao Souk de burro. Também não é assim tão diferente do nosso Portugal, mas de há 30/50 anos atrás.

dsc01947
Homens berberes que foram às compras ao Souk, a aldeia deles fica a 20km.

dsc01943

Vem uma senhora à rua e convida-nos a entrar. A casa está cheia de gente, mulheres e crianças. São irmãos, primos e primas, tios e tias, todos reunidos à nossa volta. Fazem perguntas a Khalid em berbere, ninguém aqui fala francês. Na medida do possível lá tentamos comunicar com as senhoras. São muito abertas, afáveis e simpáticas, muito diferente das típicas mulheres árabes. Falam rápido e por vezes falam para nós como se falássemos berbere há 20 anos ! Khalid ri-se, elas e nós também, estamos em comunhão.

dsc01963

Sentamos em redor de uma mesa pequenina mas com um prato bem grande de couscous com legumes e carne de vaca, acompanhado por um leite fresquinho de cabra! Elas comem à mão do prato, a nós dão-nos duas colheres. Interessante…nós não nos importávamos de comer como eles, mas tiveram a sensibilidade de perceber que se calhar a nossa prática não era muita.

dsc01951

dsc01952

dsc01955

Insistiam constantemente para comermos com o movimento universal de levar a mão à boca. E nós comíamos, estava divinal !!

Com a barriga tão cheia e o cansaço acumulado ainda da nossa anterior aventura a subir o Toubkal o sono chegou. Mais uma vez estas senhoras tão amáveis disseram para me recostar, e assim fiz, durante 20m dormi uma bela sesta enquanto Carla filmava a musicalidade da língua berbere.

dsc01957

Passámos uma tarde em beleza, um Domingo em família, sem TV, sem telemóveis, sem internet, sem nada para comunicar eainda assim comunicámos tanto…

Khalid acertou na mouche ! Era mesmo esta experiência que tinha visualizado um dia poder ter. Confirmei tudo o que tinha lido (que era muito pouco) sobre os berberes, pareceram-nos diferentes dos árabes sem dúvida, apesar de já partilharem muitos costumes. A mulher aqui tem uma importância extrema na casa e no cultivo, ela também manda !

dsc01961

Meus caros é muito por isto que ficámos apaixonados por viajar de forma livre e independente, nada disto seria possível se andássemos atrás de grupos com horas marcadas, é diferente, respeitamos, mas não é para nós.

Temos saudades do lugar mas sobretudo desta gente tão generosa e que é muito sábia, mesmo sem diplomas. Iremos voltar em breve, sem dúvida, quem sabe com uma parceria com o Projecto100rota…

dsc01962

dsc01892

Obrigado Tadernot !

 

22 Comments

  • Reply

    Itamar Japa

    26 Novembro, 2016

    uau! Que experiencia fantástica, tenho certeza que vai ficar marcado em suas memórias para toda a eternidade! Adorei!!! Parabéns!!

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Ficará sim ! Boas viagens !

  • Reply

    Rafael

    26 Novembro, 2016

    Com certeza foi uma experiencia enriquecedora, um dia quero conhecer e ja estara no meu roteiro, imagino estar por ai, deve ser uma loucura. Parabens pelo post

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Obrigado Rafael, boas viagens !

  • Reply

    Rui Baptista

    26 Novembro, 2016

    Vocês sabem contar histórias 🙂 Mais uma vez, gostei muito. Parabéns! E tudo bem ilustrado com fotos à maneira 🙂 Espero pelo próximo “conto”…

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Ainda bem que gostou Rui ! Boas viagens !

  • Reply

    Juliana (www.turistando.in)

    26 Novembro, 2016

    Uau!
    Que experiência interessante essa de vocês! Adorei o texto e as fotos!
    Obrigada por compartilhar esse teu relato!
    Abraços,

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Obrigado ! Ainda bem que gostou, boas viagens !

  • Reply

    Flávia Donohoe

    26 Novembro, 2016

    que post interessante, eu nem imaginava que ainda existia comunidades deste jeito, deve ser algo memorável de se fazer, e que fotos inspiradoras. abraços

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Existem pois ! Boas viagens !

  • Reply

    Josiane Bravo

    27 Novembro, 2016

    Que viagem mais incrível. Adorei ler esse relato e ver essas fotos maravilhosas 🙂 Marrocos está na listinha dos países que mais tenho vontade de conhecer na África.

    Ah, que experiência bacana essa de comer com as mãos, achei interessante que a família ofereceu os talheres, mostra que são bem hospitaleiros.

    Abraços

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Tens de conhecer Josiane ! É pertinho…de Portugal hahah Boas viagens !

  • Reply

    Pedro

    27 Novembro, 2016

    Que experiência deliciosa, Francisco! É sempre tão bom poder ter experiências autênticas e enriquecedoras como esta!

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Foi mesmo Pedro, Boas viagens !

  • Reply

    Katarina Holanda

    27 Novembro, 2016

    Uau!! Deve ter sido um passeio incrível. Tenho muita vontade de conhecer o Marrocos. Amo cuscuz, mas só comi o nordestino e o paulista, deve ser um pouco diferente, haha. Embora no Nordeste a gente também coma com leite. 🙂

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      hahaha o Nordestino não conheço eu ! Boas viagens !

  • Reply

    Julia F. H. Sawaki

    27 Novembro, 2016

    Uau, que experiência incrível. Adorei ler esse post, foi como se estivesse vivendo aquele momento com vocês. Parabéns e obrigada por compartilhar essa linda história. Abraços

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Ainda bem que gostou Julia, obrigado, boas viagens !

  • Reply

    Contramapa

    27 Novembro, 2016

    Muito bom relato! Adorei todos os vossos artigos acerca de Marrocos, muito autêntucos 🙂 E agora comia um pouco desses couscous, nem que fosse com a mão!

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Também já comia !! Obrigado Diana !! Boas viagens !

  • Reply

    Excelente post. Marrocos é um dos meus países de eleição e também por isso gostei bastante de ler a vossa história. Isto sim é viajar…. conhecer realmente os habitantes.

    • Reply

      projecto100rota

      28 Novembro, 2016

      Obrigado Catarina, Boas viagens !

Deixe uma resposta