Jordânia, Médio Oriente

JARASH | Umas incríveis ruínas na Jordânia e Castelo de Ajloun

A pouco mais de 50km a norte de Amã, a capital da Jordânia, há ruínas de uma antiga cidade romana. Até aqui nada de incrível.

Mas se vos disser que; JARASH ou mais comummente conhecida JERASH  é a seguir a PETRA o lugar mais visitado na Jordânia, tem história de presença humana que remonta ao período Neolítico a mais de 8000 BC de distância, foi uma das mais importantes cidades romanas da província figurando entre as dez mais importantes chamadas de DECÁPOLIS e que hoje em dia é considerada uma das cidades antigas com as ruínas greco-romanas mais bem preservadas do mundo, aí se calhar consigo despertar-lhe a atenção e viajar comigo até Jarash !Sim?

Chegámos de manhã cedo. Rafael, o líder do grupo da agência de viagens “Landescape” ao qual me juntei, pede que nos aproximemos para uma breve explicação, pois a entrada, as bilheteiras e onde se podem contratar os guias é já depois de dois monumentos importantes: O Arco de Adriano e o Hipódromo.

ARCO DE ADRIANO

 ARCO DE ADRIANO: Construído para comemorar a visita do Imperador Adriano à cidade no ano de 129.

 HIPÓDROMO: Podia acomodar até 15000 espectadores e tinha cerca de 245m de comprimento  50m de largura, Aqui assistiam-se a loucas corridas de carros, cavalos e outros desportos da época.  Hoje em dia são recriadas e encenadas essas corridas, e também lutas romanas pelo governo. A data de construção não é clara mas crê se ter sido construído entre o séc II e o séc III.

 

PRAÇA OVAL

A Praça Oval ou Fórum foi sem dúvida um dos destaques da visita. Única em todo o mundo romano. Rodeada por quase 60 colunas com 4 impressionantes blocos de pedra, e com as lajes originais ainda debaixo dos nossos pés, estar ali no meio e imaginar o dia a dia da vida social é algo obrigatório fazer. A melhor vista é desde o Templo de Zeus, que ficará mesmo atrás de si.

 

RUA COLUNADA/CARDO “MAXIMUS”

Perspectiva da via romana principal de Jarash, aqui na Rua das Colunatas

Caminhar por cima do pavimento original da rua principal de Jarash romana foi uma sensação incrível. As lages estão colocadas enviesadas para que a fluência das rodas das carroças fosse optimizada e as marcas da passagem das carruagens ainda são perfeitamente visíveis. Ao longo de todo o Cardo são visíveis os buracos que serviam de “caixa de visita” de acesso aos esgotos, mas também para o escoamento das águas pluviais.

 

TEATRO NORTE E TEATRO SUL

O teatro sul foi construído entre o ano 90 e 92 e pode sentar 3000 pessoas. Notável na suas condições acústicas, eu testei…quem estiver no centro do espaço da orquestra -se houver silêncio- não precisa de levantar a voz para se fazer ouvir na extremidade das bancadas. Cuidado com o que dizem…

O teatro norte “abriu portas” em 165. Foi usado para performances artísticas mas também encontros políticos. Caiu em desuso no séc V, algumas das suas pedras e blocos foram aproveitadas para a construção e reconstrução de outros edifícios mais afectados pelos sismos.

 

IGREJAS BIZANTINAS

São poucos os vestígios (a descoberto) do que resta de um dos períodos áureos da cidade, o período Bizantino. Pelo menos 7 igrejas terão sido construídas durante o período entre os séc.V e VII. Dessas construções apenas restam alguns bonitos mosaicos como a foto indica em cima.


ESTAS SÃO ALGUMAS DAS PRINCIPAIS ATRACÇÕES DE JERASH, TODAVIA HÁ MAIS PARA VER COMO:

  • TEMPLO DE ZEUS- De onde se tem uma vista brutal sobre a cidade.
  • NYMPHAENUM- O fontanário principal dedicado à deusa Ninfa.
  • TEMPLO DE ARTEMIS- Dedicado a Artemis, deusa da caça e da fertilidade. Contém 11 impressionantes colunas coríntias, uma delas consegue-a fazer mover com um dedo de uma mão, não acredita ?

 

Colunas do tempo de Artemis

Não era difícil prever o sucesso desta cidade com os seus terrenos férteis, a vasta produção de linho, azeite e vinho e a estratégica localização para as rotas comerciais vindas do sul e do Oriente. Mas já as catástrofes naturais, essas sim, são difíceis ou impossíveis de prever, e foi um grande terramoto em 749 –já durante o período islâmico- que fez a cidade aos poucos entrar em decadência e abandono.

Já no Séc.XIX um viajante europeu alemão (re)descobre a cidade e a partir do início do séc.XX iniciam-se finalmente as escavações. Com métodos ainda frágeis e pouco precisos, muito do que eram sinais sobretudo da presença islâmica foram destruídos.

Em geral no grupo ficámos bastante surpreendidos com as ruínas, ainda que saibamos que APENAS 25% ESTÁ A DESCOBERTO!!! O que, sabendo no local faz-nos pensar da dimensão desta urbe há tantos anos. Por achar que JARASH/JERASH foi tão importante na região e saber que alguns viajantes a decidem não visitar, espero que lendo este post mudem de ideias e lhe dediquem um tempinho!!

CASTELO DE AJLOUN

Este histórico e importante Castelo na Jordânia foi mandado construir no séc. XII por um dos generais de Saladino, sobretudo para repelir os Cruzados do Norte da Jordânia, mas também para assegurar o controlo de umas importantes minas de ferro existentes na região.

É um dos exemplos mais bem preservados da arquitectura militar Islâmica medieval, está situado no topo de um morro a mais de 1000m de altitude de onde se diz ser possível avistar a Palestina, e até quando o tempo está de feição, ver a grande cúpula dourada da Mesquita em Jerusalém.

Não há muitas opções de alojamento em Jerash. O que a maior parte dos viajantes costuma fazer no seu roteiro pela Jordânia é visitar JARASH e o CASTELO DE AJLOUN -a cerca de 20km- e regressar a Amã, onde têm mais opções de dormida. Deixo-vos as duas opções nos links abaixo, caso pretenda pesquisar ou reservar através do “nosso” blog 😉

Faça as suas reservas através das parcerias do nosso blogue, NOS LINKS INDICADOS, VOCÊ NÃO PAGA MAIS, e nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguiremos manter e até melhorar ainda mais o nosso blog ! OBRIGADO !

ALOJAMENTO EM AMÃ

ALOJAMENTO EM JARASH

SIGA-NOS NO PINTEREST!!

20 Comments

  • Reply

    felipe

    4 Março, 2018

    Excelente artigo! Já visitei o seu blog outras vezes, porém nunca
    tinha escrito um comentário. Pus seu blog
    nos meus favoritos para que eu não perca nenhuma atualização.
    Grande abraço!

    • Reply

      projecto100rota

      4 Março, 2018

      Uau Filipe, muito obrigado pelo seu comentario. Grande abraço!

  • Reply

    Camila Neves

    24 Março, 2018

    Como a Jordânia é maravilhosa, né? Adorei as fotos, as ruínas são espetaculares 🙂

  • Reply

    Eloah Cristina

    24 Março, 2018

    Que fotografias maravilhosas. Cada detalhe deslumbrante. Obrigada por compartilhar todas estas dicas =)

  • Reply

    Fábio Junior Alves

    24 Março, 2018

    Uau, que incríveis estas ruínas na Jordânia, este é um dos destinos que está em “nosso radar”. Adorei o post e salvei nos favoritos! Parabéns pela linda matéria!

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Obrigado! Vão sim, vale bem a pena!

  • Reply

    Vítor

    24 Março, 2018

    Há uma semana atrás andava por aqui…realmente um lugar fantástico

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Pois…nestas andanças o tempo passa bem rápido hhehe

  • Reply

    VICTORIA M FARINA

    25 Março, 2018

    Esse realmente é um post pra se ter quando visitar a Jordânia. Me imaginei lendo o post e olhando para as ruínas e amei a sensação. Quando realizar esse sonho de visitar o país vou voltar aqui 🙂

  • Reply

    Analuiza

    25 Março, 2018

    Eu adoro ruínas… de muitas maneiras elas me levam ainda mais longe do que muitos edifícios e palácios menos danificados. Estas me impressionaram muito porque mostram claramente a grandiosidade do que foi este lugar, mesmo com apenas 25% a descoberto.

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Bem verdade Analuiza, outrora foi uma grande cidade!!

  • Reply

    Flávia Donohoe

    26 Março, 2018

    A Jordânia como bem se vê, deve ser um destino fantástico a se explorar, gosto muito de visitar sítios com ruínas, pois mostra muito do que aconteceu por ali, impressionante a beleza e singularidade.

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Obrigado Flávia !!

  • Reply

    Renata Rocha Inforzato

    26 Março, 2018

    Vc nem precisava falar do histórico da cidade pra me fazer querer conhecê-la. Só as suas fotos já me deram essa vontade. Não sei quando vou, mas já está nos meus planos

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Boa! Isso é que é falar!

  • Reply

    Ana

    27 Março, 2018

    Que lugar extraordinário! A Rua das Colunatas é a «imagem-postal» que tenho desse lugar, que adorava conhecer. A sensação de caminhar por um piso que foi utilizado por tanta gente quase 2000 anos antes de nós tem qualquer coisa de espectacular, não é?!? 🙂

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Se tem!! Tens mesmo de ir lá, e leva material para escavar pois há muuuuuito pr desenterrar 😉

  • Reply

    Absolutamente extraordinário. Nunca tinha ouvido falar nada disto, parece ser um local que temos mesmo de ir. Eu iria adorar 😉

    • Reply

      projecto100rota

      29 Março, 2018

      Tenho absoluta certeza que sim, ias adorar!

  • Reply

    Michela Borges Nunes

    28 Março, 2018

    Eu imagino que este lugar seja incrível demais. Tenho muita vontade de desbravar estes lugares diferentes. Amei o post e as fotos. Quanta história…

Deixe uma resposta