Dicas, Israel, Jordânia, Médio Oriente, Palestina, road trips

JERUSALÉM | Como chegar a Jerusalém por terra, vindo de Amã na Jordânia (de transporte público)

Antes da minha viagem tentei pesquisar e perceber a melhor forma de viajar desde a capital da Jordana, Amã até Jerusalém em Israel/Palestina por terra.

Como as informações por vezes eram contrastantes, algo dispersas e até escassas pois a maior parte das vezes faz-se o percurso inverso, decidi escrever este artigo em que conto como tudo econteceu em Janeiro de 2018.

Antes de mais queiram saber que existem 3 fronteiras onde é possível fazer a travessia para os dois países:

  • Sheikh Hussein crossing /Fronteira Norte
  • The Allenby/King Hussein Bridge, a mais próxima de Jerusalém
  • Wadi Araba Crossing/Fronteira sul

Visitei  a cidade de Jerusalém, Israel e Palestina vindo por terra e de transporte público desde Amã na Jordânia, optando pela fronteira central e mais próxima da cidade santa de Jerusalém, a fronteira de The Allenby/King Hussein Bridge.

Porquê ? Jerusalém está situado no centro de Israel e da Palestina. Daqui é possível através de transportes públicos-seja do lado israelita, seja do lado palestiniano- aceder a qualquer ponto do território, como tal pareceu-me ser a melhor opção.

Acordei bem cedo ainda na capital jordana, apanhando um táxi às 6h da manhã desde o hotel Arab Tower situado na downtown até à estação de autocarros de Tabarbour na parte norte da cidade. Demorei cerca de 20min neste trajecto, e paguei 3JOD.

Já na paragem dos autocarros dirigi-me à primeira pessoa que encontrei, e perguntei qual era o autocarro para a fronteira de “King hussein bridge”

Sensivelmente a meio do espaço onde estacionam as viaturas, lá estava ele já com o motor a funcionar e pronto a arrancar o mini-bus que me levaria até à fronteira com Israel, assim que estivesse cheio. Como fui o segundo a chegar, esperei ainda quase uma hora para seguir viagem, tendo pago de imediato ao motorista 4JOD.

Autocarro Amã-King hussein border/bridge

Com o mini-bus quase cheio arranco em direcção à fronteira e em pouco menos de 1h já avisto Israel bem de perto.

A fronteira do lado jordano é bem simples. Saindo do transporte que nos trouxe de Amã, entra-se num edifício onde em vários guichets são cumpridas todas as formalidades necessárias à saída do país.

Os turistas estrangeiros são direccionados para um guichet diferente –à partida será quando se entra ao seu lado esquerdo ao fundo– aqui ser-lhe-à pedido o passaporte e 10JOD de taxa de saída do país. 

NOTA: Em princípio o seu passaporte não será carimbado, apenas lhe darão um papelinho à parte com o carimbo de saída. Agradeça por isso, é isso que lhe vai fazer ter possibilidade de visitar um dia países que não permitem a sua visita caso se prove que esteve em Israel, tais como: Irão, Líbano, Síria ou Sudão. Ora, se o seu passaporte for carimbado pelas autoridades jordanas e saíndo por terra, será fácil chegar à conclusão que passou por Israel.

Depois, será encaminhado para um autocarro “oficial” que o levará até ao lado israelita. Não há alternativa, atravessa-se terra de ninguém e por questões de segurança TODOS os transeuntes deverão partir no autocarro. Teve um custo de 7JOD e demorou cerca de 10min.

A caminho de Jerusalém

Já do lado israelita a “coisa” foi bem mais demorada. Primeiro o autocarro que chega da Jordânia é passado a pente fino pela polícia. Só depois saímos e somos todos encaminhados para as bagagens serem revistadas nas máquinas de raio-x. 

Já na fila para os vistos, o seu passaporte vai ser folheado como não houvesse amanhã. Seguem-se algumas perguntas. Se estiver sozinho/a como eu, não serão algumas, serão muitas. Se além de estar sozinho, no seu passaporte estiverem alguns carimbos de países muçulmanos, não serão muitas, serão milhões de perguntas e quiçá uma entrevistazinha num gabinete à parte. Mas atentem, tudo com muita cortesia.

Safei-me bem mas sentia-me tenso. Nunca tinha sido tão escrutinado. Nada de mais…e de certo modo compreensível.

Uma vez mais, não se preocupe com carimbos, o visto de Israel é hoje em dia um papelinho tipo bilhete de identidade, e é grátis, guarde-o no seu passaporte esse sim ficará cheio, mas de autocolantes e códigos de barras…coisas da segurança israelita.

Já fora do edifício fronteiriço, irá encontrar transporte facilmente para a cidade histórica de Jericó, que fica a escassos quilómetros e também como é óbvio para Jerusalém. 

Para Jerusalém optei por seguir em sherut ou como quem diz mini-bus. Teve um custo de 50ILS e também só partiu quando encheu.

Tudo somado, demorei cerca de 2h30m a chegar a Jerusalém. Seria muito mais rápido não fossem as formalidades fronteiriças, todavia pareceu-me bastante razoável e a ainda antes de almoço estava a chegar à grandiosa Porta de Damasco no coração palpitante da “cidade santa”.

Porta de Damasco-Jerusalém

Claro que indo por terra tem sempre a possibilidade de:

  • Ir de táxi privado desde Amã, com um custo que ronda os 30JOD+7JOD do autocarro da fronteira.
  • Ir de táxi partilhado,mas terá de arranjar companhia. Na estação de Tarbarbour onde apanhei o mini-bus, tem boas chances de conseguir ir em táxi partilhado, sendo que irá pagar um pouco mais e se o táxi estiver cheio irá mais apertado.
  • Comprar um tour disponível em alguns hotéis ou agências de viagens

Boa viagem !!

CONVERSOR DE MOEDAS:

JORDÂNIA– 1€ =0.80 JOD -Dinar Jordano

ISRAEL/PALESTINA– 1 €=4ILS – Shekel

 

Deixe uma resposta