Africa, Médio Oriente

Como ir do Egipto ao Sudão por terra | Abril 2018

 

Sendo este um post um pouco mais informativo por favor tenham em consideração que a forma como atravessei a fronteira é relativa ao mês de Abril de 2018, o que significa que as coisas podem ficar diferentes consoante o momento.

Há muito que o Sudão andava debaixo de olho. Recentemente e depois de terminada mais uma viagem de grupo Landescape à Jordânia da qual sou líder, e como estava por “perto” decidi viajar até ao Sudão com uma breve passagem pelo Egipto.

O plano consistia em: Apanhar um avião de capital jordana até ao Cairo no Egipto e daí ou de comboio ou de avião rumar a Aswan, a cidade mais a sul do Egipto e ponto de partida para passar a fronteira. Devido a questões de tempo decidi ir de avião. Ficou mais caro (70€) mas foi mais rápido e também foi deslumbrante ver o percurso do Rio Nilo do céu a serpentear o deserto.

O VISTO PARA O SUDÃO

Para o Sudão é preciso visto e conheço 3 formas de o obter:

. Na embaixada do Sudão no Cairo, é atribuído no próprio dia, sendo que tem um custo de 100$ e é preciso uma carta de recomendação da embaixada do seu país de origem, além de 2 fotos e fotocópia do seu passaporte.

. Na embaixada do Sudão em França, através da internet e por email pode solicitar o seu visto com bastante antecedência, acontece que são necessários mais documentos como o bilhete de avião ida e volta por exemplo e tem um custo de 100€.

. No Consulado do Sudão em Aswan, foi a minha opção. São necessárias 2 fotos tipo passe, fotocópia do seu passaporte e 50$. Formalmente o visto é lhe entregue passados 2 a 4 dias, acontece que se pedir com “jeitinho”, que foi o que eu fiz à boa moda portuguesa, acredito que lho entregarão no dia a seguir por volta do meio dia. Para isto chegue cedo. O consulado abre às 8.30h,a parte dos vistos encerra às 12.30. Fecha à Sexta e Sábado.

Depois de recolher os documentos aguardei numa sala cerca de 1h e foi me entregue um papelinho que serve de comprovativo de pedido de visto. No dia a seguir entreguei o comprovativo esperei pouco mais 1h (porque estavam na reza) e voilá ! Welcome to Sudan!!!

Por norma o visto é lhe concedido para 30 dias ou 60. Sem múltiplas entradas.

Havia alguns egípcios a pedir visto mas o processo foi relativamente rápido e sem grandes questões. O Consulado é na parte Sul da cidade e deixo-vos aqui a morada:

Consulate of the Republic of Sudan in Aswan: P.O.Box 11843 Aswan, 12 El-Sadat, Qism Aswan, Aswan Governorate 11843 Tel+20 97 2307231

 

                        Eu esperando pelo meu visto no Consulado do Sudão em Aswan

 

CRUZAR A FRONTEIRA DO EGIPTO PARA O SUDÃO (Wadi Halfa)

Primeiro há que apanhar um autocarro/ônibus às 3h ou 8h da manhã, mas não esteja à espera que o autocarro parta à hora certa. É melhor comprar o bilhete de véspera pois o fluxo de pessoas entre os dois países é bastante intenso.

Dependendo dos seus planos de viagem, pode comprar aqui o bilhete para Wadi Halfa, a primeira cidade do Sudão ou directamente para Khartoum, a capital.

Nota muito importante: O local da partida é nas imediações da estação de comboios de Aswan e é aí também que pode adquirir o seu bilhete. O custo foi de 200EGP.

Depois começa a aventura!! De  Aswan até a Abu Simbel onde o autocarro pára para ser transportado pelo ferry e para almoçar são 4/6 horas, logo nesta parte do percurso irá concerteza iniciar os seus primeiros contactos com os simpáticos e hospitaleiros sudaneses. A mim pagaram-me o almoço, entre vários convites para visitar as suas respectivas casas.

Eu e os meus primeiros amigos sudaneses, peixe frito do Nilo, pão e feijão, uma delícia a custo zero!

Seguiu-se a agradável viagem de ferry (não fora os mosquitos) de pouco mais de 1h pelo cénico Lago Nasser ou Lago Núbio já em águas sudanesas. Ao longe e como que a dizer, “adeus e até um dia” vi Abu Simbel.

Porto Sul do ferry Lago Nasser 

Chegados a um cais muito rudimentar é hora de entrar de novo no autocarro. Depois de meia dúzia de Km estamos na fronteira do lado egípcio. Tenho a dizer-vos que aqui a experiência foi bem demorada.

Toda a bagagem é retirada do veículo e tudo é passado a pente fino pela polícia egípcia. Notem uma coisa, aqui bagagem significa muito mais do que roupa ou objectos pessoais. Os sudaneses acorrem ao Egipto para comprar tudo o que não conseguem encontrar no Sudão a preços razoáveis. Frigoríficos eram às dezenas, televisores, ventoinhas, máquinas de lavar roupa, tecidos…enfim, tudo.

E tudo depois tem de voltar a ser carregado com maior ou menor rigor. Por outras palavras, poderá ficar tudo ao monte e você ter de ir encostado a um frigorífico ou fogão por exemplo.

Aguardando a verificação da bagagem na fronteira Egipto-Sudão do lado egípcio

Outro pormenor importante é que aqui o seu passaporte terá de ser carimbado com a saída do Egipto. Como o cansaço já era algum, esqueci-me de o fazer mas tive sorte pois um polícia voltou a verificar todos os passaportes e então todos tiveram de esperar por mim mais um pouco para eu finalizar esse procedimento. Terá de pagar uma pequena taxa de 60Libras egípcias.

DICA MUITO IMPORTANTE: Caso tenha a sua bagagem, o seu passaporte carimbado e se aperceba que algum transporte está para sair em direcção ao Sudão primeiro que o seu, sinta-se livre para questionar se pode embarcar. Em princípio não haverá problema algum. Depois de 3-4 horas de espera é uma boa opção

Posto isto, hora de embarcar, rolar mais uns escassos km e finalmente a fronteira do lado sudanês aí está.

Ao contrário do que pensava, na parte do Sudão todo o processo foi mais rápido e personalizado e é só deixar-se levar pelos honestos guardas. Acredite, em oposição aos seus vizinhos, os sudaneses no geral não entram em “esquemas” para angariar mais uns dinheiros.

Pode também aproveitar para trocar aqui ALGUM dinheiro, e faça-o SEMPRE no “mercado negro”, não tenha receio. Em Abril de 2018 1€ dava para comprar 35SDG (sudanese pounds).

NOTA MUITO IMPORTANTE: No Sudão o Dólar é a moeda mais utilizada para troca, acredito que nos bancos da capital seja possível trocar euros, mas não vale a pena o risco de ficar sem dinheiro. Nas ruas não existe mesmo outra coisa que não dólares e Libras sudanesas.

Fronteira Sudão-Egipto, lado sudanês

E está feito. Pode seguir viagem, seja para Khartoum ou para Wadi Halfa que foi o meu caso. Poderia ter ido no autocarro mas um amigo feito pelo caminho decidiu convidar-me para ir com ele e o seu irmão até Wadi Halfa, evitando assim esperar pelo autocarro.

Tudo somado (a correr tudo normalmente) demorará entre 10/12 horas neste percurso. É cansativo, certo. Mas dadas as circunstâncias para mim valeu bem a pena pois foi uma forma imediata de interagir com um povo que se revelou extremamente generoso e hospitaleiro.


Wadi Halfa é uma cidade fronteiriça. Pouco tem para ver, no entanto é ideal para tratar de assuntos logísticos importantes da viagem, irei fazer um post específico para detalhar mais estas dicas no entanto ficam já aqui as mais importantes:

  • Comprar SIM card
  • Fazer o registo da sua visita ao Sudão na Polícia (todos os turistas, mesmo tendo o visto, têm de se registar na polícia 3/4 dias após a entrada no país,  custa 532SDG, é preço fixo e se não o fizer poderá incorrer numa multa de valor substancialmente maior, o objectivo deste registo é apenas para controlo do seu itinerário…)

Além destas questões logísticas, Wadi Halfa foi bom para começar a perceber o país e costumes de uma forma mais tranquila pois a cidade é pequena.

Serviu também de ponto de partida para visitar Abri, uma das aldeias Núbias junto ao Nilo, que diga-se de passagem foi uma das minhas melhores experiências no Sudão.

Até já e Boas viagens!!

Bem vindo ao Sudão!!

 

 

 

 

 

 

 

 

2 Comments

  • Reply

    Filipe Morato Gomes

    28 Maio, 2018

    Tenho um pressentimento que um dia isto ainda me vai ser útil… 😉

    • Reply

      projecto100rota

      28 Maio, 2018

      Espero bem que sim amigo, quero ver aí essas fantásticas fotos e relatos!!

Deixe uma resposta