Médio Oriente, Turquia

Visitar Istambul | Sugestão de Roteiro de 2 dias em Istambul | Turquia

Rua do bairro de Balat

Istambul. A própria palavra a mim soa-me a sempe a imponência na minha cabeça. A última vez que aqui estive foi em 2014, mas só durante uma tarde/noite numa escala para a nossa viagem ao Irão, e o resultado foi uma enorme vontade em voltar. Voltei o tempo possível. Mas se depender só de mim voltarei as vezes necesárias para espremer ao máximo esta magnífica cidade.

PODEM VER AQUI ESSES ARTIGOS

UMA TARDE EM ISTAMBUL 2014

A NOSSA VIAGEM AO IRÃO

Desta vez tive um pouco mais de tempo, mais ainda assim só foram possíveis 2 dias para a visitar.

Como em 2014 tinha visitado alguns dos locais mais icónicos como; a Mesquita Azul, a Santa Sofia, a ponte Gálata e o Bazar das especiarias; e ainda, no regresso do Irão uma prazeirosa travessia no ferry público desde a parte asiática –que também merece uma visita– até Sultanhamet. Agora tinha pensado em conhecer”outra” Istambul.

Istambul merece mais tempo, eu sei. Uma semana diria que seria o tempo ideal para ficar com uma ideia acerca de uma das maiores cidades do mundo, e a única que se situa em dois continentes! Nem sempre é possível, mas isso é precisamente uma das razões porque estou aqui. Para judar-vos a organizarem o vosso percurso, aproveitando o melhor possível o pouco tempo disponível.

Torre Gálata vista ao longe da Grande Mesquita Suleymaniye

O QUE VISITEI EM 2 DIAS EM ISTAMBUL:

DIA 1

-BAIRROS DE KUMPAKI E YANIKAPI:

É a dois passos do lugar mais turísitico de Istambul, mas parece que estamos a centenas de quilómetros de distância. É inacreditável como descendo uma rua nas traseiras da Mesquita Azul, e andando uns escassos 500 metros em direcção ao mar de mármara, vemos ruas sem turistas -não que tenha alguma coisa contra, pois eu também sou- e a população a viver tranquilamente o seu dia a dia.

Foi aqui que fiquei alojado e também por isso fiquei a conhecer esta zona. Restaurantes a muito bom custo a um passo de Sultahnamet. Zona da cidade também muito frequentada e habitada por sírios, magrebinos e malta do sudeste asiático no outrora bairro de maioria de origem arménia, o que lhe dá um ar bem colorido.

DICA local: VISITAR O MUSEU DA FOTOGRAFIA DE ISTAMBUL

O bairro de Yanikapi –daquilo que eu vi-é substancialmente diferente. Muitos hotéis e lojas de roupa, muitas, milhares…milhões!! Para quem chega desde o longiquo novo AEROPORTO DE ISTAMBUL, seguido de SULTANHAMET, Yenikapi é uma das paragens mais próximas do histórico coração da cidade.

É também por isso uma boa alternativa para se ficar alojado em Istambul.

-COLUNA DE CONSTANTINO E MESQUITA LALELI

Conheci a mesquita Laleli por acaso, no caminho que fazia para ir descansar no jardim, e ouvir o chamamento para as rezas ao fim da tarde entre a Mesquita azul e a Aya Sofia. Construída no século XVIII gostei particularmente do seu ambiente calmo e das cores dos mármores no seu interior, assim como dos seus vitrais.

A coluna de Constantino, é um dos monumentos descobertos mais antigos de Istambul! No séc IV, Constantino mandou erguer este monumento –trazido do Templo de Apolo em Roma– no local a que à época era conhecido como o Fórum de Constantino. Na sua forma original teria uma estátua de Apolo no topo saudando o sol, no entanto, Constantino manda substitui-la por uma sua. Nos séculos X e XI terá tido no topo uma cruz, removida aquando da conquista da cidade pelo Império Otomano em 1453. Foi atingida num incêncio no século XVII, o sultão da época quis conservá-la e para isso ordenou que a reforçassem com anéis de aço, desde aí foi apelidada de çemberlitas em turco, que significa coluna com anéis ou coluna queimada.

-RELAXAR AO FIM DA TARDE OUVINDO AS CHAMADAS PARA A REZA ENTRE A MESQUITA AZUL E A AYA SOFIA

Antes de mais. A foto NÃO É DO LOCAL que vos falo, mas olhando para todo o meu arquivo é a que talvez melhor ajude a transmitir a minha ideia.

Já em 2014 tinha ficado impressionado com o vigor com que por aqui os muezzin chamam os muçulmanos para a oração, e nesse ano, por mero acaso, ficámos com pele arrepiada e tudo o quanto era cabelo arrebitou ao ouvi-los no jardim central que separa as duas mesquitas. Quando forem a Istambul já sabem, guardem um pôr do sol aqui. É só vantagens. O “espectáculo” é grátis, e depois de um dia a calcorrear as colinas da cidade sabe bem aqui comer um gelado ou beber um sumo de romã.

DIA 2

-VISITAR A MESQUITA SULEYMANIYE,”O magnífico”

É uma das maiores de Istambul, foi construída no século XVI e projectada pelo lendário arquitecto otomano, Mimar Sinam.

Tem uma localização incrível. No alto de uma das colinas de Istambul mira directamente para o outro lado europeu da cidade para lá do Corno de Ouro. É talvez a minha mesquita preferida na cidade e apesar de ter bastantes turistas não é tão concorrida nas visitas como a Mesquita Azul por exemplo. Sem dúvida uma das mais bonitas, não só pelo interior mas pela sua localização. Uma peça valiosa de arte em tributo ao sultão Suleiman, o magnífico conhecido por ser um homem justo e que teve o mais longo reinado do Império Otomano. Imperdível!

-IR A UM BARBEIRO

Isto é daquelas coisas que só os homens é que sabem. Mas aqui pouco se falou de futebol ou do sexo oposto. Este rapaz era curdo mas primeiro disse –como se estivesse a entrar com pezinhos de lã– que vinha da Mesopotâmia!! Percebi logo que tinha origens curdas e disse lhe que podia à vontade dizer que era curdo! Os olhos dele brilharam. Maneja a tesoura como poucos, e fá-lo desde os 10 anos de idade quando aí ajudava o pai.

É por isto que –vocês que me acompanham nas redes sociaisme vêm sempre a ir a um barbeiro por estas bandas. Há fortes possibilidades de encontrar uma boa história. Nem sempre, mas há. Foi no bairro de Fener, um pouco a norte da ponte Gálata; aquela onde a malta come o peixe assado.

-VISITAR UMA IGREJA ORTODOXA BÚLGARA FEITA EM FERRO FUNDIDO


Antes que me digam que já estão fartos de mesquitas, apresento-vos uma Igreja. Mas esta tem uma particularidade que achei interessante; é feita em ferro. A razão exacta para o facto de ela ter sido construída em ferro não se sabe, conheci duas teorias; a primeira é de que devido aos terrenos lamacentos se considerou ser melhor utilizar este material, e a segunda é de que foi dado um prazo de apenas um mês pelo sultão para a construir.

Um facto que achei curioso e que não sabia é que os ingleses especializaram-se neste tipo de construção pré fabricada, quando construíram também igrejas para serem enviadas para as colónias, nomeadamente para a Austrália. Esta foi construída em 1898 para finalmente dar abrigo às orações dos seus fiéis, substituindo o antigo templo em madeira destruído num incêndio.

-PASSEAR NOS BAIRROS DE BALAT E FENER

Foi judeu, foi grego, hoje é de maioria muçulmana. O bairro de Balat, a par com o de Fener são duas jóias ainda por descobrir pelos milhões de turistas que visitam Istambul todos os anos…e quase todos os dias.

Depois da barba e cabelo foi por onde me perdi uma tarde inteira. Restaurantes do bom e do melhor, cafés cheios de charme, livrarias, lojas de produtos locais, tudo num lugar que preservou a sua arquitectura antiga não deixando de se reiventar na modernidade. Um bairro muito cool sem dúvida. Para melhorar ainda mais o cenário, todo este “prato gourmet” é servido num ambiente calmo, com crianças a brincar na rua e habitantes locais calmamente a realizar as suas tarefas diárias. Adorei.

DICA -se gostarem de gatos: Almoçar, lanchar ou simplesmente tomar um café turco no CAFÉ NAFTALIN.

-TERMINAR O DIA NO BAIRRO EMINONU

O nome é estranho mas se vos falar na Ponte Gálata certamente já se saberão situar. Outrora esta zona era uma das zonas comerciais mais importantes da cidade, hoje também deve ser considerado um lugar estratégico para quem se movimenta em Istambul todos os dias, pois é daqui que partem muitos ferries para o outro lado europeu e também para o lado asiático da cidade.

Se tiver tempo apanhe o ferry (público) para o lado asiático e por menos de 5€ tem um passeio no bósforo com as melhores vistas de Istambul.

Se o tempo escassear poderão sempre visitar o Bazar das especiarias. E ainda, se o seu alojamento for do lado do Bairro Kumpaki ou da zona de Sultahnamet, dificilmente irão resistir a umas compras no gigantesco Grande Bazar. Fica a caminho. Porque não?

Atentem, vejam este artigo apenas como um ponto de partida para criarem os vossos próprios roteiros e visitas. Nestas coisas para mim nunca há certo e errado, apenas diferente, e no fundo tudo depende daquilo que procuramos numa viagem!

Boas viagens!

AGORA QUERIA FAZER-VOS UM PEDIDO!

Faça as suas reservas de ALOJAMENTO através das parcerias do nosso blogue NOS LINKS INDICADOS, VOCÊ NÃO PAGA MAIS, e nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguiremos manter e até melhorar ainda mais o nosso blog ! OBRIGADO !

ALOJAMENTOS EM ISTAMBUL

Deixe uma resposta